Marcio Cleber
março 25, 2019

Santa Casa vivencia doação de órgãos, entre eles, pela primeira vez, o de coração

O simples sim de uma família, mas amplo em sua essência pelo grandioso ato de solidariedade, fez renascer a vida em muitas pessoas. Vidas estas, que necessitavam da doação de um órgão. E este renascer para estas pessoas anônimas veio no último final de semana quando esta família permitiu a doação de órgão da filha de 28 anos que veio a óbito por morte encefálica, em um leito da Santa Casa de Misericórdia de Barbacena.

g1ffqfabkua4209y

Com esta sábia decisão, começou uma corrida contra o tempo na Santa Casa de Misericórdia. A equipe de profissionais imediatamente fez todo o processo com o MG Transplante. No sábado pela manhã, o MG Transplante tanto de Belo Horizonte e Juiz de Fora já estavam realizando a retirada dos órgãos. Um fato há muito tempo não vivenciado pela Santa Casa, e que provocou a mudança de rotina na manhã e início de tarde daquele sábado.

Para o transporte do coração e do fígado, toda uma estrutura foi montada, em uma corrida contra o tempo, pois a pessoa ou as pessoas a receberem os órgãos já aguardavam em um leito do Centro Cirúrgico na cidade de Belo Horizonte. As caixas com os dois órgãos foram transportados até o aeroporto de Barbacena pela Polícia Militar com apoio da Guarda Municipal, onde já se encontrava preparado um helicóptero. Uma saída da Santa Casa que emocionou muitas pessoas que por ali se encontravam.

Entra para a história da cidade a primeira captação de coração realizada na Instituição. A equipe da Santa Casa sente-se emocionada ao mencionar sobre o ocorrido, pois não foi fácil, mas mesmo perante tanta adversidade da vida, valeu a pena; pois não se mediu esforços, e a missão foi cumprida.

Os rins e as córneas foram com o MG Transplantes de Juiz de Fora, transportado por uma ambulância da própria entidade.