Idinando Borges
setembro 28, 2018

Artista barbacenense, Clara Castro, se apresenta na Estação Ponto de Partida

A2-11

Clara Castro

Do  Jornal Folha de Barbacena

Ingressos esgotados para o show de lançamento de “Caostrofobia” da cantora barbacenense Ana Clara Castro, de 23 anos, na Estação Ponto de Partida, entre os dias quatro e cinco de outubro. Os ingressos acabaram no dia 19 de setembro e, até o fechamento desta edição, não havia informações sobre a abertura de uma nova sessão. Foram colocados 240 ingressos à venda. O horário do show é às 20h, nos dois dias.

O show será dentro do grande salão da Bituca, onde houve o show do Lenine – após a chuva. Ana Clara é ex-aluna da Bituca – Universidade de Música Popular, onde estudou canto. Ela também ficou, durante dois anos, em workshop com o Ponto de Partida, fazendo vários espetáculos como “Vaquinha Lelé”, “Mineiramente” e “Presente de Vô”.

Recentemente, a Folha de Barbacena (FB) entrevistou Clara Castro que, além de seu talento para as artes, também é conhecida em Barbacena e região pelas suas origens. Clara é filha de Maria da Glória Bittar – da Glória Eventos, e do presidente do Sindicomércio de Barbacena – o empresário Osvaldo Júnior.

“Caostrofobia”

O álbum abre em clima de rock com a faixa-título, parceria de Nathan Itaborahy e Renato da Lapa. “Caostrofobia” fala sobre o processo criativo e a vida em expansão no espaço de um apartamento: “Sorriu à Guadalupe no altar / Vagou com vagalumes por aí / Ligou o toca disco às vinte e três / E fez um rebuliço de manhã”, diz um trecho da letra, lúdica e imaginativa. “É a cidade invadindo o apartamento e o apartamento invadindo a cidade. Um convite para o ouvinte se imaginar ali, naquela confusão que é a cabeça de quem vive sempre recriando o mundo dentro de si, solucionando as prisões inevitáveis que a vida urbana traz”, explica Clara Castro.

Única releitura do trabalho, “Um Trem Para as Estrelas” (Gilberto Gil / Cazuza) ganhou arranjo contemporâneo, que busca evidenciar a densidade da letra. Na sequência: Inverno Astral (Nathan Itaorahy / Douglas Poerner); Modulação (Clara Castro / Nathan Itaborahy / Renato da Lapa); Volte (Clara Castro); Sobe o Sol (Clara Castro); Nossa Oração (Clara Castro);.Nada é Tão Certo (Clara Castro); Corpo Só (Clara Castro / Glória Bittar); Espelho (Clara Castro / Ciro Belluci / Nathan Itaborahy); e Longe do Mundo (Clara Castro)