Idinando Borges
junho 30, 2017

4ª Conferência Municipal de Políticas de Promoção da Igualdade Racial acontece na próxima semana

igualdade-racial-1

O Conselho Municipal de Promoção de Igualdade Racial, em parceria com a Prefeitura de Barbacena, convida toda a população negra, indígena, cigana e grupos sociais ligados a manifestações culturais destes grupos para a 4ª Conferência Municipal de Políticas de Promoção da Igualdade Racial. Com o tema ‘2015-2024. O Brasil na Década da Afrodescendência: Barbacena Promovendo a Igualdade Racial – Por Nenhum Direito a Menos’, o evento acontece no próximo dia 7 de julho (sexta-feira), a partir das 8h, no Automóvel Clube,

O assunto do evento obedece a uma orientação nacional, com o tema ‘O Brasil na Década dos Afrodescendentes: Reconhecimento, Justiça, Desenvolvimento e Igualdade de Direitos’, e estadual, com o tema ‘O Brasil na Década do Afrodescendente: Minas Gerais Promovendo a Igualdade Racial – Por Nenhum Direito a Menos’, baseada na resolução 68/237, de 19 de dezembro de 2013, pela qual a ONU proclama a Decenação Internacional das Pessoas de Origem Africana, a partir de 1º de janeiro de 2015, com término em 31 de dezembro de 2024, com o tema ‘Década da Afrodescendência. Reconhecimento, Justiça e Desenvolvimento’. A resolução válida para todos os estados nacionais e países do mundo.

O Conselho Municipal de Promoção da Igualdade Racial, como os demais Conselhos, decorrem da Constituição Federal de 1988 que instaurou os chamados conselhos populares, com o objetivo estreitar as relações entre estado, sociedade e governo. O objetivo da 4º CMPPIR deverá ser analisar os avanços e conquistas da 3ª CMPPIR e propor políticas a serem conquistadas na 5ª CMPPIR, e, com a participação de todos, levar ao Executivo Municipal propostas de políticas públicas específicas de promoção da igualdade racial e inserção social destes grupos.

Durante o evento, serão apresentados alguns resultados do 1º Diagnóstico Municipal Sobre as Condições de Vida das Populações Negras e Indígenas de Barbacena. O Instituto Cultural Primeiro Quilombo visitou 2555 residências e entrevistou 3060 pessoas em 20 bairros de Barbacena. Segundo dados expostos no diagnóstico, a população negra constitui-se em 63%, a indígena em 2,2% e a branca em 34,8%.


Também serão eleitos, na ocasião, os delegados que irão representar Barbacena na 4ª Conferencia Estadual de Políticas de Promoção da Igualdade Racial a ser realizada em agosto, em Belo Horizonte.

As inscrições poderão ser feitas a partir desta sexta-feira (30) pela internet, no Portal da Prefeitura.

Confira os eixos temáticos: 

Eixo 1: Trabalho e Desenvolvimento Econômico e Social
Eixo 2: Educação
Eixo 3: Cultura
Eixo 4: Mulher e Empoderamento Feminino
Eixo 5: Povos e Comunidades Tradicionais
Eixo 6 : Juventudes e Empoderamento
Eixo 7: Segurança Pública e acesso à Justiça
Eixo 8: Saúde
Eixo 9 : Combate ao Racismo Institucional / Fortalecimento de Órgãos de Promoção da Igualdade Racial
Eixo 10 : Mídia e Racismo
Eixo 11: Migração, xenofobia e intolerâncias correlatas

Veja a programação completa

8h às 8h20 – Café da Manhã / Cadastramento
8h20 às 8h35 – Abertura da Conferência / Formação da Mesa
8h15 às 8h35 – Leitura / Aprovação do Regimento Interno
8h35 às 8h50 – Sobre a 3ª CMPPIR
Por Nivaldo Paulino Teodoro
Presidente do  CMPIR
8h50 às 9h05 – Sobre a 4ª CMPPIR
Por Angelo Sátyro
1º Secretário do CMPIR
9h05 às 9h20  – Apresentação de Dados do Primeiro Diagnóstico Socioeconômico e Demográfico das Populações Negras e Indígenas de Barbacena
Por Angelo Sátyro
Presidente do Instituto Cultural Primeiro Quilombo
9h20 às 10h20 – Palestra: Por Nenhum Direito a Menos: Políticas de Reparação, Trabalhos da Comissão e o Relatório a ser enviado ao Governo Nacional, ao Vaticano e ao Estado-Nação de Portugal.
Por Daniel Dias de Moura
Advogado e Presidente da Comissão Estadual da OAB Sobre a Escravidão Negra e Trabalho Escravo em Minas Gerais
10h20 às 11h20 – Palestra: Voz da Mulher Negra
11h20 às 12h – Palavra Aberta ao Público
12h às 13h – Almoço
13h às 15h – Encontro dos GTs
15h às 15h15 – Café da Tarde
15h15 às 16h15 – Apresentação das Propostas em Plenária
16h15 às 17h – Discussão, Votação e Aprovação das Propostas
17h às 17h15 – Eleição dos Delegados para 4ª Conferencia Estadual de Políticas de Promoção da Igualdade Racial
17h15 às 17h30 – Encerramento

 

Idinando Borges
junho 28, 2017

Câmara Municipal selecionará estagiários em diversas áreas

img_0_882_28062017_210

Ato inédito da Mesa Diretora prevê vagas para os cursos de Administração, Ciências Contábeis, Direito, Publicidade & Propaganda e Ciência da Computação

Mais um ato inovador da nova legislatura da Câmara de Barbacena. A partir de agosto deste ano, o Legislativo Municipal admitirá estagiários para variadas funções. O projeto é de autoria da Mesa Diretora e foi sancionado pelo Presidente Odair Ferreira (REDE), na Portaria nº 240/2017.

Segundo o Presidente da Câmara Odair Ferreira (REDE), na primeira etapa os estagiários serão selecionados pela Comissão de Recursos Humanos da Casa e passarão também por uma avaliação. “Será lançando um edital, onde poderão se candidatar alunos dos cursos superiores de Administração, Ciências Contábeis, Direito, Publicidade & Propaganda e Ciência da Computação. Ao todo 11 estagiários prestarão serviços na Câmara e até 30 nos gabinetes dos vereadores, de acordo com a demanda”, disse.

O projeto também garante vaga para Portador de Deficiência. Cada servidor, em sua área, ficará responsável por elaborar um plano de atividades e acompanhar o estagiário, num período de 6 meses. O estágio não será remunerado.

Para o Vice-Presidente, José Jorge Emídio (PDT), a novidade servirá para, mais uma vez, abrir as portas Casa à comunidade. “Temos aqui na Câmara diversos setores administrativos que funcionam com experiência e dinamismo. Será uma ótima oportunidade para que os universitários aprendam desde já suas profissões”.

Segundo a comissão organizadora, o edital para que os estagiários se inscrevam será publicado até o dia 18 de agosto, no site da www.camarabarbacena.mg,gov.br.

Idinando Borges
junho 25, 2017

Foro privilegiado foi tema do Pensamento Jurídico da semana – Por Andrada

novo

 O Pensamento Jurídico desta semana discutiu sobre o foro por prerrogativa de função.  Quais são os crimes? Quem tem direito ao foro privilegiado? Para falar sobre este assunto convidamos o desembargador Doorgal Andrada, da 2ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de Minas Gerais.

Atualmente cerca de 54 mil autoridades no país são beneficiadas pelo foro especial, o chamado foro privilegiado, sobrecarregando os tribunais superiores. Tramita no Congresso Nacional um projeto prevendo sua extinção. O que isso representa e quais são as consequências da mudança?

O desembargador Doorgal Andrada falou para vários canais credenciados pela AMAGIS e escreveu artigo para a Revista Consultor Jurídico a seguir:

Opinião

O problema do fim do foro por prerrogativa é o guarda da esquina

25 de junho de 2017, 6h11

Por Doorgal Gustavo Borges de Andrada

O Supremo Tribunal Federal começou a discutir uma nova interpretação para aplicação do instituto do foro por prerrogativa de função — o foro privilegiado —, de modo restritivo, sem os crimes comuns. Pelo novo modelo decorrente da prerrogativa de função — dos parlamentares, magistrados, membros do MP, ministros de Estado e governadores —, será relativizado.

Alguns pontos negativos que advirão dessa mudança precisam ser analisados. Primeiramente, é de se ressaltar que o “foro por hierarquia da função” existe por razões históricas, sociológicas, jurídicas e filosóficas, e não é uma invenção brasileira, mas fruto de uma evolução jurídica ao longo de séculos na Europa, onde, aliás, todos os 28 países praticam o foro especial de forma ampla, como de resto todos os países da América do Sul. Ainda agora, o Ministério Público francês está a solicitar do Parlamento europeu, sediado em Estrasburgo, autorização para poder processar criminalmente a conhecida deputada Marine Le Pen. Além do foro especial, o parlamentar na Europa tem imunidade parlamentar.

Alguns argumentam que a nossa suprema corte não possui estrutura material e já conta com quase 500 processos criminais em tramitação. Em média, então, cada ministro tem cerca de 45 processos criminais em decorrência do foro por prerrogativa. Ocorre que, com a restrição de foro, os processos de crimes comuns cometidos pelas autoridades irão para a 1ª instância, onde as varas criminais têm mais de 4 mil processos em andamento, e cabem inúmeros recursos. Certamente, a morosidade será muito maior que no STF. Logo, a alegação de que a alta corte está assoberbada não é um argumento viável, pois a maioria dos juízes de 1º grau e dos tribunais de 2º grau convive com fantástico acúmulo de trabalho. Quantos são os juízes de Direito que desejam, como o STF, diminuir o serviço e o número de processos sobre suas mesas? Devem ser milhares…

Cabe esclarecer que o juízo federal de Curitiba, que julga a “lava jato”, foi obrigado a paralisar todo o seu trabalho para ficar por conta daquele. Além disso, precisou receber vários juízes-cooperadores, uma equipe exclusiva de membros do MP e inúmeros policiais federais a sua disposição. Está demonstrado que o juiz de 1º grau normal, comum, não possui estrutura para enfrentar processos tão complexos, como possuem os tribunais.

Ora, soa como incoerência alegar que o forte e poderoso STF não tem condições físicas e materiais para processar as altas autoridades da República, imaginar que os juízes de 1º grau, muitos sem assessores, sem servidores em número adequado, sem equipamentos, sem espaço físico necessário para trabalhar estão mais aptos… A impunidade pela prescrição aumentará muito.

Quanto à alegação de que “todos somos iguais perante a lei” e todos precisamos ser julgados na 1ª instância, parece uma argumentação inconsistente e de pouco saber jurídico. Todos somos, sempre, julgados igualmente pela mesma lei, pois todos respondemos igualmente pelos crimes previstos no Código Penal, pela mesma lei do Direito de Família, as mesmas regras do direito de propriedade, a mesma lei do direito de sucessão, a mesma CLT etc., seja o processo iniciado nos tribunais de Justiça, seja no foro da Justiça Federal, ou mesmo no STF. Altera-se apenas, e eventualmente, o local de tramitação, o foro — a competência —, mas a Justiça é unitária, e a lei, igual para todos. A igualdade perante a lei é garantida também por vários tipos de ritos processuais e a ampla defesa.

A prevalecer o entendimento equivocado de que há falta de igualdade, então, talvez, até teríamos que extinguir, por exemplo, toda a Justiça Federal: ora, por que o homicídio cometido por servidor público federal pode ser julgado no Tribunal do Júri na Justiça Federal e não no Tribunal do Júri da Justiça estadual comum? Seria isso um privilégio especial e uma falta de igualdade perante a lei? Evidente que não. Do contrário, a própria competência originária do STF não poderia existir, afinal, tudo e todos teriam que ser julgados sempre e apenas pelo juiz de Direito de 1º grau da Justiça comum.

Essa novel alteração de restrição ao foro por prerrogativa de função — cuja regra hierárquica é praticada em todos os países da Europa ocidental e os sul-americanos — nos levará a fatos curiosos. Poderão os ministros de tribunais ser denunciados pelo promotor de Justiça da comarca de qualquer cidade, e citado para lá ser interrogado. Caso seja condenado pelo juiz a uma pena maior que dois anos de prisão ou detenção (regime aberto), perderá o cargo de ministro, seja do STF, STJ, TST, STM ou TSE, e assim também todos os desembargadores, membros do MP estadual ou federal, o PGR, deputados, senadores, governadores etc.

Cidadãos que se julgarem ofendidos ou difamados por um discurso ou entrevista concedida por um governador, senador, ministro do STJ ou do STF, procurador da República etc. poderão processá-lo em diversas cidades ao mesmo tempo, através de oferecimento de queixas-crime e/ou abertura de inquéritos policiais.

Juízes de Direito irão julgar os promotores de Justiça que atuam na mesma comarca e até julgar eventuais crimes dos procuradores da República. Também os promotores de Justiça terão poder para denunciar os juízes da comarca, os desembargadores, ministros de Estado e os membros do STF, TST e STJ. O delegado de polícia da comarca poderá requerer a prisão do juiz ou do promotor com quem trabalha. Tudo bem próprio de uma anarquia hierárquica.

No interior do país, um policial que tenha antipatia por um juiz, desembargador ou ministro, ou que seja desafeto político-ideológico de deputado, governador ou senador, poderá encontrar razões para dar voz de prisão em flagrante delito inúmeras vezes àquelas pessoas, legalmente.

Com a restrição do foro por prerrogativa, veremos que “o problema é o guarda da esquina”. Foi com essa frase histórica que o ilustre e renomado ex-vice-presidente da República Pedro Aleixo respondeu ao então presidente da República, Marechal Costa e Silva, quando este tentava esclarecer que o AI-5 que se implantava (suspendia direitos fundamentais e permitia prisão sem motivação) não seria perigoso, pois a Presidência da República jamais o utilizaria de forma corriqueira. Na verdade, o então vice-presidente — grande jurista — alertava que o problema era a vida cotidiana, o dia a dia nas cidades. Aquela clássica resposta, então, voltará agora a ter validade se tivermos a limitação do foro por hierarquia de função.

O foro por prerrogativa de função constitucionalmente faz parte da divisão dos Poderes da República, dos “freios e contrapesos” democráticos. Exemplificando: se é o chefe do Executivo federal que propõe e ordena o orçamento dos Três Poderes; se são os membros do Legislativo federal que aprovam e delimitam o orçamento que valerá para os Três Poderes; então, por conseguinte, os membros de ambos os poderes (Executivo e Legislativo) devem ser controlados e julgados pelos membros do órgão máximo do Judiciário nacional. Juridicamente, não é dado ao colendo STF o direito de não exercer sua função maior, por mais difícil e impopular que seja.

Então, ao criarmos esse modelo de “foro jurídico abrasileirado” (foro privilegiado restrito) a ofender toda a história universal da evolução do Direito Constitucional nos países que adotam a civil law, iremos possibilitar que qualquer juiz de 1º grau possa legalmente decretar a prisão temporária ou preventiva dos ministros do STF, STJ, STM, TST, TRF e TRT, desembargadores, senadores e dos governadores.

Por analogia, essa interpretação de inversão de hierarquia poderá contaminar e se estender à administração pública — Direito Administrativo —, e surgirão grandes novidades: o funcionário de uma modesta repartição pública poderá abrir um processo administrativo para aplicar pena ao seu superior; o agente de Polícia Civil poderá presidir procedimento administrativo e punir com pena de suspensão o chefe de polícia; o tenente da PM (ou do Exército) terá direito a abrir um inquérito militar e/ou aplicar punição a um major ou general.

Nessa hora grave, em que a população brasileira quer “passar o país a limpo”, não seria desejável que o STF abandone o ônus/incômodo de julgar plenamente — absolver ou condenar — os homens poderosos da República. O Direito é a luta pela implantação da paz social, de uma sociedade justa, feliz, organizada, igualitária, com progresso, porém, jamais deve ser confundido ou ceder ao anarquismo administrativo, à busca do populismo jurídico, à submissão dos magistrados aos desejos da mídia, à audiência fácil nas transmissões pelas TVs, ao aumento da impunidade por “vias tortas”, à prevalência da “inquisição midiática” sobre o justo.

Pergunta-se: o juiz de uma vara judicial única e o promotor de Justiça, numa cidade carente e pobre, numa remota e isolada comarca — por exemplo, quase incomunicável —, do interior dos grandes estados do Centro-Oeste, do Nordeste ou da Amazônia, que, inseguro, convive com elevado índice de mortes por “encomenda” e tristes cenas de “matadores de aluguel” etc., terá melhores recursos materiais, maior força político-institucional, maior presença da Polícia Federal ou estadual, sofrerá menor pressão… do que os membros do STF para julgar um governador do Estado, um ministro de Estado, um senador da República ou um empresário milionário que supostamente mandou invadir e furtar centenas de cabeças de gado com apoio de maus políticos locais? Será essa mudança a melhor para o país?

Doorgal Gustavo Borges de Andrada é desembargador do TJ-MG. Foi juiz de Direito, promotor de Justiça, delegado de polícia e presidente da Associação dos Magistrados Mineiros (Amagis).

 

Marcio Cleber
junho 22, 2017

Santa Casa promove treinamento voltado para eventos adversos relacionados à medicação

A Santa Casa de Misericórdia de Barbacena, dentro de suas ações de capacitação com seu quadro de profissionais, promoveu esta semana um treinamento de eventos adversos relacionados à medicação. Um trabalho que envolveu os enfermeiros e os técnicos de enfermagem e aconteceu tanto no turno diurno quanto o noturno para envolver todos os profissionais. A capacitação foi trabalhada nos nove certos preconizados pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária – ANVISA: Paciente certo; Medicamento certo; Via Certa; Hora certa; Dose certa; Registro certo da administração; Orientação certa; Forma Certa; e Resposta certa.

IMG-20170621-WA0000

A capacitação foi ministrada pelas enfermeiras coordenadoras Patrícia Lacerda e Graziela Henriques que destacou muito alguns pontos, como estar mais atentos em cada ação, ter mais segurança na realização dos processos e em caso de dúvida procurar orientações; manter o posto de enfermagem organizado, pois facilita e acelera nas atividades; a importância de ter conhecimento histórico do paciente e do medicamento por ele utilizado. Um outro ponto que foi destaque, foi sobre a leitura do rótulo da medicação,  quando o profissional precisa ler este rótulo antes de tirar do recipiente, ao aspirar ou administrar e antes dos descarte do frasco.

Uma atividade que tem como objetivo oferecer um trabalho mais seguro e de qualidade ao paciente e também mais tranquilidade aos profissionais. Tudo transcorrendo de maneira correta e segura, evita erros que trazem várias conseqüências como gastos desnecessários, diminuição da rotatividade dos leitos, sofrimento humano por parte dos profissionais, evita abalar seriamente a reputação da instituição e o agravamento do paciente.

Idinando Borges
junho 20, 2017

Clube Gourmet é uma nova experiência gastronômica do Senac em Barbacena.

Venha fazer amigos, aprender a cozinhar e, ainda, degustar

destaque_home_grogoto

Um curso que é um encontro, um bate-papo, uma aula de culinária e também um jantar. Se você tem o hobby de cozinhar ou gostaria de investir nisso, venha para o nosso Clube Gourmet. É um workshop do Senac em Barbacena, que reúne grupos de pessoas para aprenderem juntas, de forma leve e prática, sobre culinária. Uma oportunidade para conhecer amigos, se aperfeiçoar na cozinha e, ainda, degustar os pratos preparados.

Mais que um curso, o Clube Gourmet é um momento de descontração para quem vê na gastronomia um hobby, uma forma de se conectar às pessoas e viver deliciosas experiências. No workshop são preparados: entrada, prato principal e sobremesa. Além do cozinheiro, há a participação do maitre para a harmonização do prato preparado com a bebida a ser servida, contemplando as regras de Etiqueta à Mesa.

Saiba mais no Senac em Barbacena (rua Cruz das Almas, s/n – Caiçaras / Praça Pedro Teixeira, 48 – Centro). Ligue 0800 724 4440.

Elton Belo Reis
junho 10, 2017

A Loja Capitular Regeneração Barbacenense 09 DE JUNHO de 1897-2017 (120 anos)

   A Augusta e Respeitável Loja Capitular Regeneração Barbacenense, orgulho da Maçonaria Universal, comemora dia 09 de junho de 2017 seus 120 anos de fundação.

    Em apenas dois anos da fundação da Loja Maçônica Regeneração Barbacenense foi fundada a Loja Capitular. Foi através dos esforços de abnegados Irmãos, que se deu o nascimento de uma nova estrela na constelação desta Egrégia Maçônica. Para quem não sabe, as Lojas Maçônicas são divididas em Lojas básicas que são os graus 1,2,3, que podem professar vários ritos, que são em destaque Escocês Antigo e Aceito, Brasileiro, Frances, Moderno entre outros e Lojas Complementares, Capitulares, Consistórios, que atingem até o grau 33 conforme o Rito que se opera . A Loja Capitular em que estamos referindo, que esta comemorando seus 120 anos de fundação, é aquela que compreende entre os Graus 15 e 18 e concedidos por um Capítulo. Destes Graus o mais se destaca é o 18 – Cavaleiro Rosa-Cruz, considerado até o século XVIII como o coroamento final do Sistema que opera, e no qual todos os Ritos conhecidos e que possuíam Altos Graus terminavam.

MAÇONARIALoja Capitular Graus 15,16,17 e 18.

   Cada Loja Maçônica tem o seu papel a ser desempenhado dentro da sociedade, tendo a responsabilidade de obedecer a uma potencia maçônica, Grandes Orientes, Grandes Lojas que por si possuem um tratado de garante de amizade com a maçonaria Universal. Em Barbacena, na atualidade existem várias Lojas Maçônicas e poucas Lojas Capitulares, que trabalham em dias e horas diferenciadas da Loja de base ou simbólica.

mAÇONARIA regeneracaoLoja Simbólica Graus, 1,2,3.

   A Augusta e Respeitável Loja Capitular Regeneração Barbacenense, através de esforços de Irmãos, foi fundada com toda certeza na antiga Rua Chamada Rua do Sapo, bifurcação entre a Rua Comendador João Gonçalves (na Ponte Seca) com os fundos da Estação Ferroviária, prédio que foi de propriedade do italiano Arthur Dapieve, e que foi de propriedade de Luiz Gonçalves (Luiz fogueteiro), tudo isso registrado em ata com relatos de ocorridos entre 1898 a 1900 neste prédio e após este período a Loja foi para um imóvel a Rua Treze de Maio. Foi através da idealização de abnegados como fundadores deste Secular Capitulo, os Irmãos ALFREDO FERREIRA PAES, ALFREDO AMARO RENAULT, NICOLAU ANTONIO NASCIMENTO, ADRIANO GISMONDI, ARTHUR JOVIANO , MANOEL VITOR GOMES, RUFINO SIMOES DE MIRANDA.

    O mais correto, que tenho que fazer é registrar um pouco da biografia de cada Maçon fundadores deste Capítulo, que foram:

  •  ATERSATA ALFREDO FERREIRA PAES.
  • PRIMEIRO GRANDE VIGILANTE ALFREDO AMARO RENAULT.
  • SEGUNDO GRANDE VIGILANTE NICOLAU ANTONIO NASCIMENTO.
  • GRANDE ORADOR ADRIANO GISMONDI .
  • GRANDE SECRETARIO ARTHUR JOVIANO .
  • GRANDE TESOUREIRO MANOEL VICTOR GOMES .
  • GRANDE COBRIDOR RUFINO SIMOES DE MIRANDA.
  • 19073315_1582827471740873_1464741704_oFoto tirada no interior do Templo antigo da Loja Maçônica Regeneração Barbacenense por volta de 1925 no atual prédio a Avenida Bias Fortes. (Extraida do livro Visão Histórica da Loja Maçônica Regeneração Barbacenense- Autor Geraldo Ribeiro da Fonseca).

Atersata, titulo dado em maçonaria a quem vem administrar o Capítulo, (é uma palavra de origem Persa, com o significado de “mão forte, mão poderosa”), portanto Alfredo Ferreira Paes foi eleito a esta condição, para a fundação do Capitulo Regeneração Barbacenense. Nascido em 01 de maio de 1857, foi um grande professor de Geometria, bem como diretor da antiga Escola Normal Municipal de Barbacena e lecionou no Lyceu de Barbacena. A maçonaria nesta época fazia campanhas para educar e alfabetizar, “tirando das trevas da ignorância para a luz do conhecimento”, sendo assim ele foi Diretor da Escola Noturna União Fraternal (que era outra Loja Maçônica que existiu em Barbacena). Alfredo teve uma vida bem laboriosa dentro da instituição maçônica, inclusive presidiu o Capitulo Regeneração por varias vezes.

Primeiro Grande Vigilante Alfredo Amaro Renault. Maçon muito ativo, nascido em 15 de janeiro de 1855, filho do Dr Pedro Victor Renault de Sierck, engenheiro francês, chegado em Barbacena em 1833, aqui tendo lecionado Frances, Historia e Geografia. Diplomou-se em farmácia em Ouro Preto e manteve de sua profissão uma farmácia a Praça Conde de Prados de nossa cidade, com o nome de Farmácia Renault. Foi politico, exercendo influencia em vários ramos políticos de nossa cidade, por varias vezes eleito a Vereador em nossa Câmara Municipal (atividade não remunerada), chefiou em Barbacena o movimento civilista, atraindo em nossa cidade a presença do ilustre Maçon Conselheiro Ruy Barbosa. Foi dele o projeto em abrir a Rua Sete de Setembro para dar acesso ao Mercado Municipal e a nova instalação do Hospital Maternidade. Vários de seus filhos foram Maçons atuantes, avô do Abgar Renault membro da Academia Brasileira de Letras e bisavô do Dr Fernando Vitor Costa grande jurista barbacenense, exerceu também o cargo de Orador e Presidente da Câmara Municipal de Barbacena por vários mandatos. Ele foi membro da Loja Regeneração Barbacenense por afiliação pois iniciou na Loja União Fraternal (extinta em nossa cidade). Tornou-se membro Honorário da Soberana Assembleia  Federal Legislativa. Foi fundador também da Loja Maçônica Labor que existiu em Barbacena.

Segundo  Grande Vigilante, Nicolau Antônio Nascimento, este era Oriundo de Juiz de Fora, pertencente a secular Loja Maçônica Fidelidade Mineira, comerciante. Foi gerente do Jornal “O Mensal” editado aqui em nossa cidade. Foi Venerável da Loja Simbólica Regeneração  em 1898 e 1899.

Grande Orador, Adriano Gismondi – Como muitos, a discrição faz parte da vida, assim foi com Adriano que como funcionário do antigo Ginásio Mineiro, tinha como filosofia, de que fazer o bem sem saber a quem e o que a mão direita oferta a esquerda não precisa atuar… Trabalhava nos bastidores com grande discrição.

Grande Secretário-  Arthur Joviano, temos aqui que registrar o quanto a voracidade do tempo consome arquivos e historias. Não encontra registros de que Loja Maçônica veio este Irmão, mas acredita-se que veio da União Fraternal de Barbacena. Atuou em varias atividades maçônicas destacando-se na Oratória e Secretaria. Foi professor de português do antigo Ginásio Mineiro, homem que sempre interessou pelos problemas educacionais, sendo autor de um método de alfabetização que foi adotado em todo o estado de Minas Gerais durante muitos anos. Foi escritor e editou vários livros didáticos. Foi diretor do Jornal A FOLHA, jornal editado em nossa cidade por muitos anos que tinha como o redator chefe nada mais do que Dr Francisco Mendes Pimentel.

   Grande Tesoureiro Manoel Victor Gomes, pelas documentações encontradas, este iniciou na Loja Maçônica União Fraternal, de Barbacena, e teve grande dedicação pela maçonaria.       Além de Secretário desta extinta Loja, foi um dos Irmão que afiliou a Regeneração Barbacenense assim que ela foi criada, mantendo-se em grande atividades até o seu falecimento. Atuava como profissão como fiscal do Mercado Municipal, funcionário Publico Municipal.

Grande Cobridor Rufino Simões de Miranda, este também oriundo da Loja Maçônica União Fraternal de Barbacena, outra vida dedicada a maçonaria. Foi herói da Guerra do Paraguay e Capitão do Exercito brasileiro. Teve varias funções ritualísticas e administrativas da Loja Maçônica Regeneração Barbacenense, foi Juiz de Paz de Barbacena e Delegado de Policia durante muitos anos.

Segue agora uma colaboração do Poderoso Irmão Geraldo Ribeiro da Fonseca:

A Glória do Grande Arquiteto do Universo..

Irmãos Soberanos Grandes Inspetores da Ordem…

Irmãos Cavaleiros Kadosch

Irmãos Cavaleiros Rosacruz

Irmãos Cavaleiros do Oriente

Irmãos Grandes Eleitos Perfeitos e Sublimes Maçons

Irmãos Mestres Eleitos dos Nove

Irmãos Mestres Secretos

Irmãos Mestres Maçons, Companheiros e Aprendizes…

De bom alvitre informar que o Regulamento Geral da Ordem, através do Decreto nº 100, de 1º de março de 1892, estatuía no seu art. 10l: “Um capítulo só poderá instalar-se no seio de uma Loja Regular que tenha, pelo menos, trinta e três membros ativos e entre eles sete, no mínimo, que possua o Grau de Cavaleiro Rosa-Cruz ou superior, conforme o Rito, sendo necessário o consentimento da Loja e professar o mesmo rito.”

 Potência  Maçônica única, no, Brasil, até 1927, era o Grande Oriente do Brasil, com sede no Rio de Janeiro. 

Há cento e vinte anos, quando a Capital das Minas Gerais deixava a histórica Vila Rica, buscando o velho Curral D”el Rei do mais Belo Horizonte do mundo, a Loja Maçônica Regeneração Barbacenense instalava seu Capítulo Rosa-Cruz.

Barbacena, sob a sombra da Acácia,  recebia no anonimato, o trabalho fecundo da maçonaria, implementando o estudo da filosofia que ordenava o trabalho dos homens livres e de bons Costumes.

Hoje, já no século XXI e no ano 2017, aqui nos reunimos festivamente para comemorar a instalação da Loja Capitular Regeneração Barbacenense. Não foi sem motivo que todos os irmãos maçons de Barbacena e circunvizinhança foram convidados para essa solenidade,  quer aprendizes, companheiros, Mestres,  ou Grandes Inspetores da Ordem. A festa de hoje é um tributo de honra e um acerto de contas com os obreiros que fundaram o Capítulo Rosa-Cruz sob a égide do Supremo Conselho do Grau 33 para a República Federativa do Brasil com sede na Capital Federal Rio de Janeiro.

               Eis, na íntegra a Ata de Instalação do Capítulo Regeneração Barbacenense.

“Aos nove dias do mês de junho de mil oitocentos e noventa e sete no recinto da Aug. e Resp. Loja Regeneração Barbacenense, às oito horas da noite e sob a presidência do Irm. Ven. Alfredo Amaro Renaut Gr. 30, presentes os irmãos Alfredo Ferreira Paes, Arthur Joviano.Rufino Simões de Miranda, Hugo Krauss,  Adriano Gismondi, Nicolau António do Nascimento Gr. 18, Manoel Vítor Gomes Gr.30, José Marcelino de Oliveira Gr. 33 Grande Inspetor e José da Silva Tavares Gr. 18, Gr. Venerável e Grande Orador da Loja Fidelidade Mineira do Or. de Juiz de Fora, o Ven. disse que o fim dessa sessão era a instalação do Capítulo e propôs que os irmãos presentes aclamassem o Presidente da Sessão. Aclamado, o irmão Alfredo Ferreira Paes ocupou o trono . O irmão Nicolau Antônio do Nascimento tomou a palavra pela ordem e propôs que se delegasse poderes ao Presidente da Sessão para a nomeação das luzes e foram nomeados Alfredo Amaro Renaut para o lugar de 1° Vigilante,  Nicolau António do Nascimento para o lugar de 2° Vigilante,  Adriano Gismondi para o de Gr. Orador, Arthur Joviano para o de Grande Secretário, Manoel Victor Gomes para o de grande tesoureiro e Rufino Simões de Miranda para o lugar de Gr. Cobridor e,  aberta a sessão no Grau 18, declarou o Irm Gr. Ven instalado o Capítulo Regeneração Barbacenense. Foram introduzidos no templo os irmãos Hermillo de Alcântara de Oliveira Pena, Manoel José Coelho, Pedro Augusto da Costa e Agostinho Lopes de Oliveira que prestaram juramentos e foram colados no Grau 18. Correu o tronco de Beneficência que produziu a medalha cunhada de 5.600 réis que ficaram a cargo do Irm. Gr. Tesoureiro. Dada a palavra a bem da Ordem em Geral, o irmão José da Silva Tavares Gr. Or. da Loja Fidelidade Mineira de Juiz de Fora felicitou a Regeneração Barbacenense pela Instalação do Capítulo, discorrendo longamente sobre as vantagens da Maç.  felicitando Minas, por contar mais um Cap. prova de que este Estado aceita as grandes ideias. Felicitou o Irmão Alfredo Amaro Renaut Ven. da Loj. Regeneração Barbacenense pela boa direção e melhor desempenho dado ao seu cargo e em seu nome e no da Loja Fidelidade Mineira todos os maçons de Barbacena. Terminou erguendo entusiásticos vivas a São João da Escócia e ao Grão Mestre Geral da Ordem Irmão Dr. António Joaquim Macedo Soares e à  Loja  Reg. Barbacenense. O irmão Alfredo Renaut, em seu nome e em nome da loja que preside agradeceu as referências feitas pelo irmão José da Silva Tavares. O irmão José Marcelino de Oliveira agradeceu as saudações e referências feitas pelo irmão Alfredo Renaut. Nada mais havendo a tratar são encerrados os trabalhos do que para constar lavro a presente ata em que assinarão as luzes digo eu Manoel Victor Gomes da secretaria,  escrevi e assino…”

E assim teve início a caminhada dos Cavaleiros Rosa-Cruz que fecharam o século passado com manifestações dignas de serem aqui repassadas .  Ainda naquele 1897, veremos levantar, na sessão do Capítulo datada  de 28 de junho, nosso irmão Modesto Lacerda,  propondo e vendo aprovada uma moção ao ilustre cidadão Presidente da República com o pesar que sente esta Augusta Loja pelos desastres de Canudos. A prancha foi lavrada e assinada pelas luzes no final da Sessão.

Em 1898, uma comissão do Capítulo, em 13 de abril, atendendo proposta do irmão Pedro Costa, visita o irmão Savassi, levando a fraternidade em momento oportuno.  Em 2  de janeiro de 1899, discutiu-se a proposição de ceder a sala dos passos perdidos para pregações religiosas, inclusive com o apoio do Padre Guilherme Dias e, num verdadeiro contraste com propostas dessa natureza, vemos o Irmão Hugo Krauss reclamar do que se deu em Congonhas do Campo envolvendo  o cadáver do maçom  José Teixeira dos Santos que,  a 23 de janeiro de 1899 ficou  insepulto 47 horas e, depois de enterrado, foi desenterrado e houve grande profanação com o corpo, pelo que esta loja deve protestar.

Assim, fechamos o século e viajamos até 15 de setembro de 1925. Em sessão, naquela data,  o orador pediu aos irmãos mais zelo no cumprimento dos deveres maçônicos e que “lamenta que irmãos freqüentem casas duvidosas e com desregramento, pois que é da Constituição e que a “Regeneração “com isto perde o seu nome”. Critica também o fato de irmãos serem cambistas do jogo do bicho, estando sujeitos aos vexames da polícia em prejuízo do bom nome da Sagrada Regeneração. Lamenta-se o sofrimento no cárcere dos irmãos Maurício de Lacerda e Everardo Dias. Maurício sofre no Cárcere e Everardo sofre com sua numerosa família. O orador era o ir. José Vieira da Rocha e  o Artesata o Ir. Astórico Queiroz. Ainda sob a Presidência do Irmão Astórico Queiroz foi recebido Cavaleiro Rosacruz, em 16 de outubro de 192,6 o irmão José Lourenço Cassemiro Costa (sogro do irmão Epaminondas). Memorável foi a saudação àquele irmão. Foram citados pelo orador ensinamentos de Confúcio, Pitágoras e Jesus Cristo, o grande iniciado, que expandindo o bem recebeu como prêmio a crucificação. Falou-se, também  do Marquês de Pombal que derrubou, junto com a maçonaria, o braço forte dos resquícios da inquisição em Portugal. Disse o orador “que hoje temos que combater a política de uma república que usurpa o povo, aliada ao clero que sorrateiramente invade  a sociedade como polvos daninhos, infiltrando nas crianças, moças e senhoras e até mesmo  nos  homens par viverem acumulando  capitais para serem viverem felizes, com esta ação  antegozando da ignorância de nós o povo. Que os maçons, principalmente os do grau 18 devemos combater acerrimamente,  lutando sempre em prol da defesa dos oprimidos ;  que sejamos fortes como os irmãos Batista Sugardo, Maurício de Lacerda, Isidoro Dias Lopes, Adolfo Bergamin  e  tantos outros. A oratória  foi  do irmão José Vieira da Rocha e o Grande Secretário foi  Faustino Davi da Costa.

Um mês depois, em 16 de novembro de 1926,  um manifesto espírita chega ao capítulo,  pedindo óbolo e é atendido. Informa-se sobre os planos de alguns irmãos cogitando sobre a fundação de um albergue. Fale-se em adquirir um imóvel com esta finalidade. O dinheiro até então arrecadado para esta finalidade foi doado à Loja base que era entidade beneficente.

Em 1928,  a 02 de agosto, o Poderoso irmão Alfredo Doux, o grande pacificador  e  delegado do Grão Mestre em Barbacena, fala em manutenção do rito e faz sentir aos irmãos a necessidade de comparecerem às sessões em trajes que coadunem com a sublimidade da cerimônia. Laurindo Claro Boa Morte foi grande timoneiro no capítulo e seu neto e bisnetos  hoje seguem  seus passos e isto muito nos honra.

O primeiro livro de atas do Capítulo, aberto em 9 de junho de 1897, termina em 18 de outubro de 1928.

Novo salto no tempo  e estamos em 1960. Inumeráveis irmãos passaram pela administração do Capítulo, mas marcou época o trabalho do irmão, José Elpídio Alevato,  preparando   terreno para seu grande sucessor, o inigualável Irmão Carlos Mário Lacerda da Cruz Machado. Não se sabe por que motivo muitas atas da Loja de Perfeição foram lançadas no livro de atas do Capítulo pelo irmão Professor Joaquim Lopes dos Santos Neto, Grande Secretário. Assim é que, em 26 de março de 1960, ele informa que houve aplausos  dirigidos  ao  novo Aterzata  do Capítulo irmão Carlos Mário Cruz Machado que deu muito de seus esforços para inaugurar, no dia 25 de março de 1960, a nova Câmara do meio. Houve na época uma moção de reconhecimento pelo muito que fez a excelentíssima  senhora nossa cunhada Maria Luiza da Cruz Machado confeccionando os paramentos da referida câmara do meio. Ficou registrando também que, na Administração do irmão Cruz Machado, aumentou-se o patrimônio e as alfaias da Oficina, do Capítulo e dos graus intermediários. Em 1961, vítima de perseguições que não nos cabe aqui citar, forças tendenciosas  tentaram uma transferência do irmão Cruz Machado para outra cidade. Protestos foram lavrados em ata, tendo os irmãos Joaquim Santos e o saudoso Irmão Chedid Ede protestado violentamente.  Em 1962, em 17 de dezembro, o irmão Cruz Machado comenta sobre desastres que enlutaram nosso País na antevéspera do natal causando sofrimento tantas famílias. Reeleito sempre por aclamação, em 1965, o Atersata  Cruz Machado cria um fundo pecuniário para organização da Secretaria do Capítulo e o irmão Salim Dau Said faz a oferta de Cr$10.000,00 (dez mil cruzeiros),  seguido por outros irmãos.

Entre 1965 a 1972 passaram pela administração do Capítulo irmãos de grande importância ,  dentre eles Paulo Farneze , Airton Muniz de Carvalho , Jacy Caldas,  Bianor Malta, Paulo da Silva Fortes e muitos outros. Em 05 de junho de 1970,  o Capítulo discutiu acirradamente a questão da obrigatoriedade de frequência na loja base como necessidade para se atingir os graus filosóficos. Nesta mesma data, eram recebidos cavaleiros Rosacruz nossos queridos irmãos Benedito Caldeira de Moraes, Honório José Franco, José Germano Junqueira , Lineu de Lima Castelo, Olavo  Machado  Brandão, Luiz Garcia de  Moraes e Walter Eduardo Hertel . Trabalhando na Secretaria lá se encontravam os inesquecíveis  irmãos  Diaulas e Oscar da Rocha Hertel. A batuta do maestro João Ferreira dos Reis comandava os destinos da Loja base, mantendo a grande sintonia em prol da maçonaria barbacenense, ele  era Venerável da Loja base  e Grande orador do Capítulo.

Cometeríamos grande injustiça se não mencionássemos o trabalho do poderoso irmão Jayme Lopes, doutrinador de primeira linha, Atersata e grande mestre de cerimônias.

Longe do nosso convívio, foi residir em Uberaba  o poderosíssimo irmão Manoel Paes,  Delegado litúrgico por muitos anos em nossa região.

Montando a grande Loja e discutindo maçonaria na pátria celeste, deve ser também homenageado o poderosíssimo  irmão delegado litúrgico Abdon de Sá Carneiro. Reconheça o Grande Arquiteto do Universo o trabalho maçônico deixado por ele e o acolha com piedade. Este irmão legou seu trabalho não só à Regeneração como também foi o fundador  importante Loja Maçônica de Barbacena, a nossa có-irmã  Fraternitat et Justitiae.

De 30 de maio de 1929 a 27 de maio de 1972 foram lavrados os registros no livro de atas n°2.

Na sessão realizada em 28 de janeiro de 1971 ficou deliberado que o sublime Capítulo deveria, a partir daquela data, reunir-se sempre na última segunda-feira do mês,  após a ordem do dia da loja base. Ficou também deliberado que quando houvesse exaltação ao grau 18, a loja base cederia a sessão ordinária para a reunião do Capítulo.  Fizeram uso da palavra os irmãos Ely Gonçalves de Faria, Paulo da Silva  Fortes e Manoel Paes de Oliveira. Posta em votação a proposta foi ela aprovada por unanimidade. Aos veneráveis que cumpriram esta determinação  o reconhecimento e a certeza de que foram fiéis a uma deliberação do Capítulo, ainda não revogada.

De 1972 até nossos dias,  a história contemporânea do capítulo não difere do passado, O filosofismo jamais deixou de ser a preocupação dos irmãos de Barbacena. Na década de 80,  os irmãos Epaminondas Souza Costa e Leonardo Vieira Peret traduziram do espanhol os rituais dos graus intermediários e vários irmãos puderam estudá-los. Novas alfaias foram adquiridas  tanto para a Loja base como para as filosóficas na Administração do irmão Leonardo Vieira Peret.

 O Capítulo Regeneração Barbacenense nunca deixou de juntar os cavaleiros  Rosacruz  em volta da mesa da ceia na quinta-feira de Endoenças. Ao lado da Loja de Perfeição XIV de junho, hoje rebatizada de Loja de Perfeição Leonardo Vieira  Peret, do  Conselho de Kadosch Laurindo Claro Boa Morte  e do Consistório,   o filosofismo se impôs  como fonte de estudo e formação humanística do iniciado maçom. Abrigado sob as asas do pelicano e espalhando virtudes o antigo Capítulo Regeneração Barbacenense dos anos idos fez e continuará fazendo história.

Quando nossa capital, Belo Horizonte, acolhe maçons de todo o Brasil para proclamar festivamente o tricentenário da maçonaria especulativa;

Quando a  Grande Loja Maçônica de Minas Gerais, o Grande Oriente do Brasil  e  o Grande Oriente de Minas Gerais( COMAB)  se irmanam no combate à corrupção  na Pátria de Caxias e de Tiradentes;

Quando os irmãos, armados cavaleiros Rosa-Cruz, de pé e à ordem, no Capítulo Regeneração Barbacenense, reverenciam o passado.

É hora de Barbacena dizer obrigado à sagrada maçonaria pelos 122  (cento e vinte e dois)  anos de instalação da Loja Regeneração Barbacenense e 120 ( cento e vinte)  anos de seu Capítulo.

Que o Supremo árbitro do mundo nos guie e ilumine com Fé, Esperança e Caridade..                    

Barbacena, 09 de junho de 2017…

GERALDO RIBEIRO DA FONSECA M.M. 33 Atersata.

Hoje em Barbacena, temos:

Loja Maçônica “Cavaleiros da Inconfidência”
Rod. BR 040, KM 699,3 – Passarinhos – Caixa Postal: 175 CEP 36.200-970
Rito Brasileiro                | Potência: GOB                           | Fundação: 30/03/1997
Dia da Reunião: Terça-Feira                         | Horário: 19H30M
E-mail: arlsci3080@gmail.com
Site: cavaleirosdainconfidencia.webnode.com.pt/


Loja Maçônica “Epaminondas Souza Costa”
Rua Antônio Lourenço da Silva, 341 – Serra Verde – 36.200-688 – Caixa Postal 12 – CEP 36.200-970.
Rito Brasileiro                | Potência: GOMG – COMAB       | Fundação: 05/06/2009
Dia da Reunião: Quinta-Feira                       | Horário: 19H30M
E-mail: l.m.epaminondas@hotmail.com
Site:


Loja Maçônica “Estrela Serena”
Av. dos Tecelões, 271 – Andorinhas – Caixa Postal: 344 – CEP: 36.200-970
Rito de York                | Potência: GOMG – COMAB       | Fundação: 12/09/2002
Dia da Reunião: 1ª e 3ª Segunda-Feira do mês                Horário: 20H
E-mail: estrelaserena232@gmail.com
Site:


Loja Maçônica “Fraternitate et Justitia”
Rua Antônio Lourenço da Silva, 341 – Serra Verde – 36.200-688 – Caixa Postal 262 – CEP 36.200-970.
Rito Adonhiramita                | Potência: GOB       | Fundação: 19/08/1993
Dia da Reunião: Sexta-Feira                       | Horário: 19H30M 
E-mail: lmfj2748@hotmail.com
Site:


Loja Maçônica “Luz das Vertentes”
Rua Castelo Branco, 81 , Santa Tereza II – CEP: 36.201-070 – Caixa Posta 111 – CEP 36.200-970
Rito Brasileiro                | Potência: GOMG – COMAB       | Fundação: 21/04/1983
Dia da Reunião: Quinta-Feira (exceto a primeira de cada mês)  | Horário: 19H30M 
E-mail: luzdasvertentes@gmail.com 
Site:


Loja Maçônica “Portal da Mantiqueira”
Rua Antônio Camilo de Souza, 115 – São Jorge – Cep: 36.202-829 – Caixa Postal 485 – CEP: 36.200-970
R. E. A. A.                | Potência:GLMMG         | Fundação: 30/03/1989
Dia da Reunião: Terça-Feira                       | Horário: 19H30M 
E-mail: franciscosantan@gmail.com 
Site: www.portaldamantiqueira.org.br


Loja Maçônica “Regeneração Barbacenense”
Av. Bias Fortes, 44, Centro – Cep: 36.200-068 – Caixa Postal 13 – CEP: 36.200-970
R. E. A. A.                | Potência:GLMMG       | Fundação: 14/16/1895
Dia da ReuniãoSegunda-Feira (Exceto a última do mês)      | Horário: 19H30M 
E-mail: regeneracaobarbacenense.317@gmail.com – regeneracaobarbacenense@glmmg.com.br
Site: 

 

 

Idinando Borges
junho 5, 2017

City10 em Carandaí

city 10 em Carandaí 036

 

Na presença de funcionários e convidados, a loja foi abençoada pelo diácono Roberto e o diretor da empresa César Sales Borges e a empresária Ana Cristina Veloso procederam a inauguração da loja(foto). É um espaço confortável e aberto à população da cidade. A loja terá linha direta com Barbacena e oferecerá o serviço de Internet Fibra, e a TV ION por assinatura.
Participaram do evento os gerentes de Venda e Marketing, Flávio Paolucci e Taíza Priscila e os consultores de vendas: Ulisses Oliveira e Rinaldo Wanser, funcionários e técnicos e o RP da empresa, Idinando Borges.
Para interessados em adquirir os pacotes ou saber mais sobre os planos basta entrar em contato através do site: www.city10.com.br ou pelo telefone: 32.3361-1887.

Idinando Borges
junho 5, 2017

Curso técnico proporciona mudança de vida

 

Inscrições para turmas em Juiz de Fora, Barbacena, Conselheiro Lafaiete, São João del-Rei e Manhuaçu já estão abertas

11

 

Emislaine de Souza saiu da informalidade e montou uma loja de roupas, em Varginha. Deliane Oliveira se tornou empresária após abrir seu próprio centro de estética, em Governador Valadares. Exemplos de quem fez a diferença depois de concluir cursos técnicos no Senac. As ex-alunas têm em comum a atitude empreendedora e uma formação requisitada pelo mercado. A partir do próximo dia 15 de maio, o Senac abre inscrições para novas turmas da modalidade. Uma oportunidade para quem, como elas, deseja mudar os rumos da carreira.

Há 13 cursos em oferta em 28 unidades do Senac no estado. A orientadora de cursos técnicos da instituição, Maria Cleonice de Sousa, avalia que o mercado de trabalho para a modalidade tem se expandido cada vez mais. “As oportunidades são notórias para a população que conclui cursos técnicos. O retorno é quase imediato e os salários compatíveis à expectativa dos cursos. O profissional técnico é de grande valia para as empresas, que buscam escolas técnicas como base para contratação, proporcionando aos alunos mais confiabilidade e segurança e ressaltando a qualidade dos cursos ofertados”, explica.

Todo o portfólio conta com diferenciais competitivos. São 71 anos de tradição no mercado direcionados à formação profissional. Para favorecer ainda mais o índice de empregabilidade, os alunos do Senac contam com o Rede de Carreiras. O serviço da instituição promove palestras sobre mercado de trabalho, presta orientação para elaboração de currículo e sobre postura em entrevistas de emprego. Além disso, o Rede de Carreiras disponibiliza o cadastro de profissionais e vagas em um site gratuito. “O curso foi de grande valor para meu crescimento pessoal e profissional. Com os conhecimentos adquiridos consegui abrir minha própria empresa. Todas as experiências vividas em sala de aula foram de extrema importância no dia a dia da minha empresa. Durante o curso passei a ter uma nova visão sobre mercado”, conta Emislane, que concluiu o curso Técnico em Administração em 2013.

Fonte : Rachel Reis Mockdeci [rachel.mockdeci@mg.senac.br]

No Senac o curso é totalmente voltado à prática profissional. Quem opta pelo Técnico em Administração, por exemplo, pode exercitar práticas do mercado na Empresa Simulada, metodologia do Sebrae que estimula a visão empreendedora dos alunos. “O curso abriu portas para que eu pudesse ir em frente. A partir da visão de empreendedorismo tomei coragem de abrir meu próprio negócio. Saí de uma empresa boa, que me oferecia muitos benefícios e decidi empreender”, conta Deliane Oliveira Linhares, que concluiu o curso Técnico em Administração, em 2014, e este ano iniciou o Técnico em Estética. Além as vantagens que o Senac oferece o pagamento é facilitado. Confira as condições e faça sua inscrição no www.cursos.mg.senac.br. Informações pelo telefone 0800 724 44 40.

Idinando Borges
junho 5, 2017

EM AGOSTO, LOUCOMOTIVA E O MELHOR DO BLUES & JAZZ EM BARBACENA

18622269_1585871348092444_1292017793013878542_n

 

 

Etta James – A Última Rainha do Blues
Esse ano, para comemorar o aniversário de 226 anos de Barbacena, no dia 14 de agosto, feriado, o Loucomotiva preparou uma surpresa para a cidade, uma grande homenagem à rainha do blues, Jamesetta, mais conhecida como Etta James. Nascida em Los Angeles, 25 de janeiro de 1938, cantora norte-americana de blues, R&B, jazz e música gospel. Ficou na 22ª posição entre os maiores cantores de todos os tempos, pela revista Rolling Stone, sendo a 3ª mulher mais bem colocada, uma verdadeira lenda do blues e jazz e uma das artistas mais importantes da música do século 20.

Quem é Jamesetta ou Etta James ?18813444_1594556740557238_2637343255236663963_n

A versão mais popular é que o músico Johnny Otis, considerado um dos pais do rock e dono de um show de talentos, teria descoberto o grupo de doo-wop The Creolettes apresentando-se em um clube de São Francisco e decidiu apadrinhar uma de suas integrantes. Entretanto, Otis contaria uma história diferente: segundo ele, a garota, que tinha apenas 13 anos, conseguiu entrar no hotel que ele estava hospedado e exigiu que ele a ouvisse cantando.
A forma que a história aconteceu não importa tanto quanto suas consequências. O músico deu o pontapé inicial na carreira da menina e, de quebra, aconselhou que ela adotasse um nome mais comercial. Sugeriu que ela invertesse a ordem do seu complicado nome de batismo e o dividisse em duas palavras, ideia prontamente aceita.
Foi assim que Jamesetta se tornou Etta James.
Foi assim que nasceu uma lenda do blues.

Idinando Borges
junho 5, 2017

Tropeço Trio e Ana Clara de Castro no Mirante Pub

18767936_1592846790786251_1194796697980691015_n

Tropeço Trio e Ana Clara de Castro

O Tropeço Trio formado por Nathan Itaborahy, Renato Da Lapa e Douglas Poemer sabem o que fazem, sem pretensão, mas com carisma e competência mostram o show “Barato Total” no M. Pub na noite do dia 2 no Mirante Pub.
18813383_1592846914119572_2801607206857311348_nAna Clara de Castro, de preto mas resplandecente  com seu batom vermelho: tudo haver com o ambiente vintage da casa do Cristiano Mirante – seu Pub ferveilhou de gente de várias tribos, todos tietando a bela Ana Clara, que além do traje preto, vestiu talento,carisma e encantou…
Em meio a um turbilhão de emoções, a música de três garotos e uma bela menina impregnados de sonhos, nos brindaram uma uma noite inesquecível na dança da vida!
Foi lindo!
Voz, Ana Clara Castro
Na batera, Nathan Itaborahy,
Na guitarra e no violão, Renato Da Lapa
No baixo, Douglas Poerner